login

Indicadores de Desempenho - KPI

Avalie este item
(2 votos)
“Se você não mede algo, você não pode entender o processo. Se você não entende o processo, você não consegue aperfeiçoá-lo”, dizia o pai da Administração moderna, Peter Drucker. Esse pensamento traduz a importância dos indicadores de desempenho para o gerenciamento de uma empresa ou organização.
 
Indicadores de desempenho, em inglês KeyPerformance Indicador (KPI), são métricas usadas para avaliar se as ações e decisões tomadas estão alcançando as metas estabelecidas. São fundamentais para calcular o ROI (Retorno sobre Investimento), descobrir se um treinamento corporativo está tendo efeito, entender o que é preciso fazer para aumentar o engajamento da equipe e dos clientes etc. 
 
Por meio das ferramentas de KPI, é possível obter dados quantitativos e qualitativos. Um exemplo são as plataformas LMS (Learning Management System) para gestão de aprendizagem, que fornecem relatórios de indicadores que são extremamente valiosos para avaliar o progresso da equipe ou processo. 
Afinal, dificilmente você, gestor, conseguirá convencer seus colaboradores de que um projeto de aprendizado ou processo é eficaz se não tiver os dados nas mãos. Estatísticas são importantes na hora de demonstrar que algo funciona e engajar as pessoas a participar daquela ação, o que é fundamental em um projeto de educação corporativa.
 
Mas como construir indicadores de desempenho e usá-los para melhorar processos dentro da empresa? É sobre isso que vamos tratar neste artigo, apresentando algumas métricas utilizadas no meio corporativo e como escolher aquelas que vão ajudá-lo a obter resultados cada vez melhores. Continue a leitura para entender os indicadores da teoria à prática. 
 
Existem quatro tipos de indicadores utilizados para medir o desempenho de qualquer empresa, independentemente do ramo de atividade.
 
  • 1. Indicadores de produtividade
Fazem referência ao uso de recursos da empresa em relação à quantidade de entregas que o processo faz em determinado período. É medido por hora trabalhada ou hora/máquina, é muito importante que esses indicadores venham acompanhados de outros, de qualidade. Afinal, não adianta produzir muito e não atingir o nível de exigência e as necessidades dos clientes, pois a sua empresa corre o risco de ficar com estoque excedente. 
  • 2. Indicadores de qualidade 
Usados para detectar não conformidades, como entregas fora do padrão. São obtidos a partir da relação do número de saídas totais com as saídas sem defeitos ou desvios no processo. Devem acompanhar os indicadores de produtividade, uma das formas de medi-los é a partir da percepção dos clientes finais sobre as entregas realizadas: se estão satisfeitos, qual a quantidade de reclamações que determinado serviço ou produto recebe durante um período etc.
  • 3. Indicadores de capacidade 
Mensuram a quantidade máxima de entregas que poderá ser realizada em determinado período de tempo, ou, a capacidade de resposta a um processo, pode ser medida pela quantidade de produtos que uma máquina consegue embalar durante X horas, o tempo que um funcionário leva para executar determinada tarefa, entre outros exemplos.
  • 4. Indicadores estratégicos
Dizem respeito aos objetivos da empresa, relacionados ao planejamento estratégico do negócio. Por meio deles, é possível descobrir se a empresa está se aproximando daquilo que foi imaginado para o seu futuro, comparando o cenário atual com o projetado, esses quatro citados são os principais indicadores de desempenho genéricos, que podem ser verificados em todas as corporações. Existem outras métricas que podem ser medidas como desdobramentos dessas quatro.
 
Além dos indicadores genéricos, que apresentamos anteriormente, há muito outros indicadores específicos, para cada tipo de empresa ou organização e para cada objetivo.
 
 
Conheça dois deles:
TURNOVER
Um ótimo indicador de desempenho para processos de Recursos Humanos, pois mede a taxa de substituição de colaboradores, que corresponde a uma diferença numérica entre admissões e demissões, medir o grau de rotatividade de funcionários da empresa ajuda a entender questões internas a serem melhoradas, como está o clima organizacional e a capacidade da corporação em reter seus talentos.
Taxas altas de turnover, portanto, podem indicar algum problema e é preciso identificá-lo, saber o porquê de os funcionários estarem deixando a empresa ou sendo demitidos em uma quantidade acima do normal. 
Além disso, isso representa um custo maior para a empresa, pois criar treinamentos e capacitar colaboradores demanda tempo e dedicação. Se um funcionário sai logo após esse treinamento, o investimento é perdido e a empresa precisa recomeçar com outra pessoa.
Quase sempre, nesse caso, o problema é a falta de recompensas, estímulos e oportunidades de crescimento para os funcionários que se submetem à formação. Por isso, o gestor deve ficar atento e avaliar se é o caso de oferecer algo a mais aos seus funcionários.
 
ROI (Return on Investiment)
Uma das métricas mais importantes em qualquer negócio é o ROI (Return on Investiment), ou Retorno sobre Investimento, em português. E, por isso, separei um tópico só para ela. 
ROI trata-se de um indicador gerencial usado para saber qual foi o resultado financeiro de um investimento realizado. Ele pode ser positivo ou negativo, o ROI é indicado para situações de investimento em que existe uma correlação direta de entrada e saída. Se houver mais de uma entrada e mais de uma saída de recursos, os valores precisarão ser somados para permitir o cálculo da correlação.
Esse indicador expressa a relação entre o valor que foi investido pela empresa em um produto, ação ou processo produtivo e o valor obtido em retorno. Com isso, é possível identificar se o investimento é rentável e, mais ainda, se as estratégias de marketing utilizadas estão trazendo os resultados esperados. Traduzindo em miúdos: o ROI avalia se um investimento valeu a pena.
Para calcular o retorno, é simples: basta subtrair o valor total do investimento do valor obtido com ele e dividir novamente pelo valor do investimento. O resultado obtido deve ser multiplicado por 100 para se chegar à porcentagem. 
 
Os indicadores de desempenho estão diretamente relacionados com as metas da empresa. Por isso, devem ser construídos de uma forma que ajudem o processo de gestão, com fácil mensuração e entendimento pela equipe.
Antes de mais nada, é preciso entender os aspectos do seu produto ou serviço que mais agregam percepção de valor aos clientes finais e, a partir daí, definir KPIs para medir metas realizáveis e realistas que entreguem esse valor.
Depois, é só acompanhar com frequência a evolução dos indicadores e os resultados alcançados. Tente perceber se estão sendo eficazes no diagnóstico da situação e para a melhoria dos processos produtivos. Caso não estejam colaborando com o alcance das metas, construa um plano de ação, para contenção da não conformidades nos processos, se necessário altere os parâmetros ou crie novos indicadores sempre com base no mercado e bom senso de responsabilidade. 
Última modificação emQuinta, 28 Abril 2022 18:10
Renato Rodrigues Farias da Silva

Especialista em prevenção de perdas, graduado em administração pela Universidade estadual vale do Acaraú, pós-graduado em MBA em excelência operacional pela Universidade de Fortaleza, Green Belt, Supervisor de prevenção de perdas na empresa, empreendimentos pague menos.
Apaixonado por processos, entusiasta de inovação e criatividade.

Entre para postar comentários

Login or criar uma conta