login

Painel de Entrevistas

Entrevista com Gilliard Leal - CECRED Cooperativa Central de Crédito Urbano

Avalie este item
(8 votos)

Leia aqui a entrevista com Gilliard Leal - Gestor de Segurança & Fraudes na CECRED  Cooperativa Central de Crédito Urbano

Sobre o Entrevistado:

Gilliard Leal,
Gestor de Segurança & Fraudes na CECRED - Cooperativa Central de Crédito Urbano
Graduado em administração de empresas UNIEXP - PR
Pós Graduado em Segurança Corporativa -UCAM - RJ
Pós graduando em Gestão de Liderança- FAE - SC
Certificado de Especialista de Segurança - CES -ABSO
Certificado de Profissional de Segurança Internacional  CPSI - CEAS

Possui vários cursos relacionados com a área de atuação como; Investigação de  fraudes empresariais, Segurança da Informação, Gerenciamento de riscos corporativos e Prevenção de Perdas . Atua na área de Segurança Empresarial a mais de 12 anos, é membro  da Associação Brasileira de Segurança Orgânica (ABSEG) e fundador e mediador da maior comunidade de Segurança Empresarial em Gestão de Riscos do Linkedin Brasil.

 

 Como você enxerga a  segurança empresarial  no Varejo?

Nós últimos anos a Segurança Empresarial ganhou dimensões impressionantes no mundo corporativo, superando até mesmo o efetivo da Polícia Militar em todo o território nacional, por um lado isto representa evolução, e por outro  uma grande dor de cabeça para os empresários.
A segurança empresarial tem sido um elo fundamental para a prevenção de perdas no varejo, conforme última estatística do Provar (Programa de administração do Varejo), furtos externos e internos após as quebras operacionais são os índices que sempre estão em alta.
A tecnologia para este segmento evoluiu muito nos últimos anos, cito algumas tecnologias e estratégias de segurança fundamentais:
Arquitetura: Nos dias de hoje a arquitetura das lojas já possue uma participação ativa da área de segurança e prevenção de perdas para fins de minimizar riscos de ações criminosas; este novo formato inclui na análise: mobiliário, áreas escuras, produtos de risco em rotas de fuga e localidade da tesouraria.
Equipamentos Eletrônicos: Os sistemas de CFTv evoluíram muito com o passar do tempo, bem como a competitividade barateou os preços. Grande parte da rede varejista já possui antenas de alarme, câmeras de alta resolução, cofres com boca de lobo, alarmes de acesso, etiquetas eletrônicas, caixas acrílicas e principalmente a redução dos tamanhos dos alarmes instalados em roupas.
Cabe ressaltar que além das tecnologias, notamos que a inteligência na fiscalização dos produtos e abordagens pela equipe de segurança alinhada com a área de prevenção de perdas fortaleceu e mudou muito algumas atitudes reativas como: "pega ladrão" para "por gentileza acredito que Sr. esqueceu de pagar um produto" , ação que sempre deve ser realizada após a saída do cliente do estabelecimento.
Alguns elementos chave para a sustentação estratégica da Segurança Empresarial no Varejo:


Processos:
•    Elaboração de Política de Segurança alinhada com a área de Prevenção de Perdas;
•    Patrocino da alta gestão;
•    Elaboração de Planos de contingência;
•    Pesquisas de inteligência no recrutamento de seleção;
•    Indicadores de perdas com sinistros em lojas e elaboração de cluster de riscos;

Tecnologia
•    Equalizar o custo benefício de equipamentos de segurança da "proteção x risco";
•    Deixar tangível que soluções de segurança agregam valor x lucros x menos perdas;
•    Para cada loja irá existir um risco e um investimento em segurança, o cuidado de padronizar quantitativo de produtos e soluções, "o que proteger?" + "contra quem"? = análise de riscos.


Pessoas
•    Engajamento e comprometimento de todas os colaboradores da empresa;
•    Treinamento constante ajuda mútua dos stakeholders;
•    Equipe de Segurança devidamente treinada e focada estrategicamente em riscos;


Como você avalia as Fraudes na concessão de  crédito no varejo?

As fraudes na concessão de crédito têm cada vez mais aumentado em todos os segmentos, as instituições financeiras já remodelaram as automatizações de cadastros e estão criando uma camada de controle para inibir as falsificações ideológicas com biometria. Com esta tecnologia irão acabar as fraudes? Controles antifraudes são feitos com barreiras em profundidade como as premissas da segurança, esta solução para um certo segmento de negócios irá ajudar significativamente, mas está longe de evitar.
Segundo pesquisas da Serasa Experian, em Julho de 2014 foram registradas 180.000 tentativas de fraudes contra o consumidor com o roubo de identidade; para o segmento de varejo, houve 13.445 tentativas, 6,1% acima no mesmo período de 2013. Todos estes números representam uma tentativa de fraude a cada 14,8 segundos.
Para a rede varejista, as concessões e as causas das fraudes são similares aos  de instituições financeiras com as suas devidas proporções, as redes em geral ofertam: empréstimos, cartões de crédito e seus respectivos limites. As principais fraudes são: roubo e falsificação de identidade, manipulação de dados, omissão de informações e atuação de grupos organizados de fraudadores.
Boa parte das concessões de crédito na rede de varejo possuem validações manuais, as conferências são realizadas com base em pesquisas cadastrais básicas que não certificam a capacidade ou risco de fraude de determinado cliente. Com uma análise flexível, a tendência é que a migração de golpistas pode aumentar para este seguimento.
Também temos as fraudes nos pontos de venda, em que identificamos a vulnerabilidade na segregação de funções e limites de alçada, funcionários concedem descontos direcionados com total autonomia, quando os descontos informados não existem;

Os principais fatores para minimizar riscos de fraudes na concessão de crédito são:
•    Pedir sempre dois documentos com foto;
•    Suspeitar de RGs recentes, com fotos não compatíveis com a idade;
•    Confirmar os dados e referências no momento do cadastro;
•    Parece loucura, mas pedir para ele repetir o endereço onde mora e o nome do Pai e da Mãe.
•    Um dos grandes truques, se a suspeita estiver forte é simplesmente perguntar o seu signo, fraudadores não possuem detalhes de suas falsificações;
•    Análise criteriosa das documentações, sendo sempre originais nunca cópia;
•    Treinamento com a equipe de vendas sobre fraudes documentais;
•    Sendo um processo manual com pesquisas básicas, possuir processo de análise bem definida sem barrar os negócios;
•    Ferramentas automatizadas de mercado que auxiliam na identificação de fraudes em RGs;
•    Ferramentas automatizadas que possibilitem definir o limite de risco "Creditscore" integrado a soluções de prevenção de fraudes.
Muitas das fraudes podem ser evitadas com confirmações óbvias, a detecção está nos detalhes.

Sobre a terceirização de mão de obra de segurança, quais são os principais desafios deste serviço nas operações de varejo?


Este é um grande desafio para o segmento varejista,  os cursos de vigilância capacitam o profissional de segurança para uma atuação de forma genérica, fator que não tem a ver com negligência ou despreparo, o tempo nas escolas de formação é um dos motivos e a variedade das atividades desta função.
Os profissional de prevenção de perdas do varejo deverá capacitar e desenvolver os profissionais para este segmento, os treinamentos devem ser constantes e abordarem alguns diferenciais importantes como:
Prevenção: o profissional deverá ser capacitado sobre as formas de detectar suspeitos, como eles agem e quais são as formas corretas de abordagem, para isso é necessário que haja um mapeamento dos comportamentos suspeitos.
Controle: deverá possuir uma inteligência emocional equilibrada, muitos criminosos poderão lhe visitar várias vezes por conta dos benefícios de algumas leis, as abordagens devem ser assertivas e supervisionadas pela equipe de monitoração de CFTv.
Postura: diferente de outros perfis de vigilantes, ao mesmo tempo que deverá ser ostensivo, deverá ser imparcial para não criar falsas percepções de suspeitos e evitar conflitos e constrangimentos com clientes, jamais deve criar um problema onde não existe.
Integração: é de extrema importância que este profissional esteja integrado com os sistemas de segurança da empresa, locais de risco, itens com o maior volume de perdas e valores agregados.
A equipe de prevenção de perdas deverá criar indicadores de desempenho com as empresas de vigilância, não criar vínculos empregatícios e estabelecer metas com foco em qualidade. Esta integração é saudável e permite que ambas as empresas  busquem aprimoramento constante.
O que mudou no cenário da Segurança Empresarial nos últimos 15 anos?
As evoluções foram muitas, mas classifico a evolução tecnológica como a mais marcante, além das  diversas inovações como câmeras IPs e DVRs com softwares com inteligência comportamental,  os equipamentos ficaram mais baratos e acessíveis. Este ano segundo a ABINEE (Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica), o crescimento da segurança eletrônica será de 16% quando comparado com o ano de 2013, fechando o faturamento em 1,38 bilhão no ano de 2014.
Todavia, o crescimento natural do país nos anos anteriores atraiu mais investimentos, novas multinacionais e grandes empresas,  a segurança empresarial está presente na gestão destas grandes empresas como área estratégica e competitiva.
Se por um lado ficamos contentes com este crescimento, sabemos que boa parte destes números estão relacionados com a crescente violência em nosso pais, que não consegue sair das últimas colocações nas taxas de homicídios.
Apesar do crescimento da segurança empresarial como um todo ficar em 74% nos últimos 10 anos, enxergo que a gestão e os processos envolvendo a profissão do gestor de segurança não seguiram na mesma velocidade, grandes esforços foram feitos por  Associações de Segurança que ainda continuam com muita qualidade e força de vontade de seus integrantes, mas como eu disse pouco se evoluiu sobre o assunto, a ausência da profissionalização impacta diretamente na formulações de cursos superiores e demais cursos específicos.
A norma ISO 31000 é a novidade nestes anos e norteia os gestores de segurança para uma visão focada em riscos, e um dos grandes desafio dos gestores de segurança é transformar sempre o intangível em tangível.
Enxergo ainda que o profissional de segurança deve buscar certificações e atualizações constantes como todo profissional bem qualificado, e diferente de outras profissões, a resiliência  é uma das grandes virtudes para o sucesso.


 

Última modificação emQuinta, 04 Setembro 2014 12:08
Redação - Portal Prevenir Perdas

Este Portal tem como objetivo disseminar a cultura de Prevenção de Perdas, Auditoria e Gestão de Riscos nas empresas, através da publicação de artigos, fóruns de discussões e matérias relacionadas ao tema. Está direcionado para estudantes, profissionais da área e para aqueles que buscam o conhecimento de um assunto tão abrangente e, principalmente, proporcionar o intercâmbio de informações constituindo um fórum permanente.

Entre para postar comentários

Login or criar uma conta